sexta-feira, 2 de março de 2018

KI TISSÁ - QUANDO FIZERES



KI TISSÁ - QUANDO FIZERES

Êxodo : 30:11 a 34:35
I Reis 18:1 a 39
I Coríntios 8: 4 a 13


"Disse mais o SENHOR a Moisés: Quando fizeres a contagem dos filhos de Israel, cada um deles dará ao SENHOR o resgate de si próprio, quando os contares; para que não haja entre eles praga nenhuma, quando os arrolares."(Ex. 30: 11 e 12)

Dentro desta Parashá sob o título KI TISSÁ, há momentos importantíssimos para Israel, mas, é indiscutível que nos chama a atenção que entre a sequência dos móveis e utensílios do Tabernáculo e também das roupas dos Sacerdotes, houvesse esta ordem de Deus, sobre este imposto na Verdade uma TERUMAH ADONAI (Uma oferta erguida de coração ao Eterno). 

Lembramos que Deus disse a Abraão e depois a Jacó que como as estrelas dos Céus e depois  como a areia da praia, os descendentes do Pai da Fé, não poderiam ser contados. Esta ordenança é cercada de mistérios, e o caso mais emblemático sobre este assunto foi o momento em que o Rei David manda realizar um censo coisa que desagradou a Deus, gerando uma mortandade no meio do povo de Israel.

David não teria cobrado o valor estipulado pelo Eterno na Torah? A sensação de segurança e orgulho pelo número de homens que poderia haver no Exército de Israel ou o simples fato de duvidarem que O Eterno multiplicaria o seu povo? Qual seria a razão daquela praga?

Um coisa é certa quando David tinha 600 homens, Deus era com ele o o livrou de todas as Batalhas. Nunca será o tamanho do Exército ou o potencial bélico, mas, o Braço Forte do SENHOR, ao lado do seu povo.

Tenho repetido que cada uma das Palavras da Torah nos inspirariam a escrever bibliotecas sob este tema, pois há profundidades inefáveis na Pia para a Purificação, no Azeite para a Unção e no Incenso sagrado, e para isso, espero poder escrever mais no futuro, mas, não posso deixar de me ater à nova ordem do Eterno sobre O Shabat, quando, novamente entre as descrições do MISHKAN (Santuário em que cada detalhe aponta para O MASHIACH), O Eterno aponta para O SHABAT DOS MILÊNIOS, quando O MASHIACH GLORIOSO, reinará em Yerushalaim, sobre todas as nações da Terra. 

Imediatamente após a reafirmação do zelo por se Guardar O Shabat, O Eterno entrega as duas Tábuas de Pedra, escritas com sua própria Mão, com as Dez Palavras e Moshe desce do Monte, com Aquele Presente tão precioso, mas, o que vê ao chegar no arraial era uma tragédia que estava ocorrendo no meio do povo de Deus.

A degradação de um povo que sendo livre, estava preso em seu coração com O Egito e seus deuses abomináveis...

O Eterno chama Moisés e diz: - "Vá ver o que O SEU POVO, está fazendo". Neste momento, Deus não vê mais a Israel como o seu Tesouro Particular, pois a nação (ou quase toda a nação), escolhe adorar O Bezerro de Ouro, feito com os brincos e adereços das mulheres.

Lemos que Deus pediu uma TERUMÁ, Uma Oferta Alçada, e o primeiro elemento pedido para a Edificação do Santuário, para que O Eterno habitasse em meio ao seu povo, era o ouro. 

Foi o Eterno que fez com que os egípcios entregassem suas riquezas para os filhos e as filhas de Israel. Com aquelas riquezas eles poderiam adorar O Deus Vivo no deserto, mas,  no lugar disso, Deus é traído por seu povo. O Nosso Deus vê o povo se prostrando, bebendo, se prostituindo, e adorando o que eles chamam de deus, como lhes disse Aarão: "tomem o deus que tirou vocês do Egito"... Vamos ser sinceros! Deus não merece isso!!!!

Houve a manifestação de algo que estava escondido, que aparentemente ninguém via. 

As murmurações, as insubordinações que ocorreram no caminho até O Monte Sinai, não eram casuais, agora percebemos que escondiam UM MAL que havia no meio do povo e que agora veio à tona, uma Maldade terrível que se manifestou junto com a prostituição: A adoração a um falso deus... O Povo estava livre para ir, mas, estava preso dentro do seu coração.

Ainda hoje muitas pessoas dizem: "É impossível uma pessoa que realmente serve a Deus estar presa por demônios!", e eu concordo com isso! Mas, será que a pessoa realmente está servindo a Deus, ou está se enganando a si mesma, e está interpretando um personagem para que todos vejam sua piedade e compromisso com Deus, mas, quando esta pessoa relaxa, ou se sente exposta a um momento difícil, ou passa por alguma crise, aquilo que estava dentro e escondido vem pra fora e aí todos se perguntam: Mas, esta pessoa não era de Deus?

O apóstolo Paulo nos exorta a EXAMINARMOS A NÓS MESMOS... O que adianta, ter aparência de  santidade, e morrer no deserto? O que adianta ficar um ano indo aos cultos e entregando dízimos e na primeira oportunidade que tiver se entregar à bebida, ao pecado sexual e a outras tantas coisas que dão culto a falsos deuses?

Quando Deus fala a Moisés o que o Povo estava fazendo, Deus não chama o povo de Israel de "Meu povo". Deus diz que era o povo de Moisés. Deus diz para Moisés sair do meio deles, pois até de pedras, O Eterno poderia fazer filhos a Abraão (lembrem-se de Yeshua ter dito que se aquela geração que o viu se calasse, as Pedras clamariam...)

Moshe Rabeinu, no entanto demonstra a coisa mais linda para alguém que serve a Deus: CONHECER O ETERNO.

A Intimidade do Eterno é daqueles que O Buscam. Conhecer o Coração de Deus leva Moisés a interceder, com uma ousadia que parece até irresponsável, mas, é fruto da Verdadeira Amizade e Intimidade com o Todo Poderoso. Moisés não intercedeu segundo a carne, mas, segundo O Espírito de Deus.

Moisés, não aceita a declaração de Deus sobre o povo e lembra e afirma que o povo não é dele (Moisés), O POVO É DO ETERNO!

Nos momentos mais difíceis de qualquer servo de Deus, chamado a conduzir um grupo de pessoas (seja lá de que tamanho for). Este líder precisa se lembrar que as pessoas não são dele, são do Eterno.

Moisés lembra a Deus, que o Eterno não os tirou do Egito e da Casa da Servidão para morrerem ali no deserto... Será que Deus precisava ser convencido destas coisas? Será que Deus tinha se esquecido destes detalhes? É claro que não! 

Mas, o coração daquele que um dia achou que com a força de seu braço e matando um egípcio poderia tirar o povo de Israel da servidão, havia amadurecido, para saber que O POVO é de Deus e que só Ele poderia livrar o seu povo e poderia guia-lo até a Terra Prometida.

Moisés ficou furioso e quebrou as Tábuas da Lei. É muito comum pessoas nos cultos nas Igrejas irem à frente e entregarem suas vidas ao Nosso Deus, e chorarem e se alegrarem (como fez Israel do outro lado do Mar Vermelho), mas, pouco tempo depois, logo na Terça-feira, quebram as promessas, lançam por Terra todo choro, a entrega e a disposição de servir a Deus.

Moisés chama os que não se contaminaram com O Bezerro de Ouro, e apenas a Tribo de Levi, vai para o lado do Líder. 

Aquele não era um diz de Festa, era um dia de choro, de pavor, era um dia de Juízo (EXAMINE-SE O HOMEM A SI MESMO). Naquele dia, Israel, que em uma só boca disse: "Faremos e obedeceremos", pecou contra Deus, e se examinarmos a nós mesmos, não seremos julgados por ninguém.


Moisés deu uma ordem para que fossem mortos todos os que se contaminaram com aquele Bezerro detestável, e só naquele dia três mil homens morreram. 

A Parashá fala do valor que se deveria juntar quando os filhos de Israel fossem contados, mas, a contagem agora é dos que não foram dignos de serem filhos de Israel. Tombaram no deserto e foram para o Inferno, tendo a chance tão grande de viverem para Deus... AH QUE DOR, QUANDO ALGUÉM AMADO POR DEUS TEM A CHANCE DE VIVER, mas despreza tão grande salvação...

Moisés continua a interceder pelo povo de Israel. Percebam que o povo de Israel existe até hoje! Quem não existe mais são as pessoas daquela geração. Todos morreram naquele deserto. Talvez alguém diga: - "Mas, qual geração passada que não se foi também?" Sim é verdade, porém, uns para a morte eterna e outros para a Vida e Consolação Eterna.

O Povo de Israel entrou e possuiu a Terra Prometida. Aqueles que foram contados no pé do Monte Sinai, morreram e foram sepultados nas areias daquele mesmo deserto, pois jamais arrancaram de dentro de seus corações o Egito e os seus deuses.

Para quem toda esta história é contada? Para nós, por certo ela foi registrada. O que dizer então a respeito destas coisas? O TEMOR DO ETERNO É O PRINCÍPIO DA SABEDORIA. É tempo de voltar para Ele, de se arrepender de coração, de arrancar toda a idolatria, iniquidade, orgulho, pecado, de dentro do seu coração para que de verdade Deus possa nos ver como seus filhos e nos guardar.

OS SEGREDOS DO ETERNO

Moisés viveu momentos muito marcantes em sua vida, mas, inquestionavelmente este foi o seu momento mais antológico... Um homem, obedeceu e creu em Deus a tão profundo nível que Deus permitiu que este homem conhecesse O Seu coração.

Deus prova o coração de Moisés. Primeiro desabafa como a um amigo sobre a traição que sofreu, a decepção de ter feito tudo com tanto amor... Deus lhes deu a Sua Palavra, mas, as pessoas disseram: Foi este Bezerro de Ouro que nos tirou do Egito. 

Quando Deus fala de exterminar o povo de Israel, Moisés conhecendo o Coração de Deus ousa pedir que O Eterno risque o seu nome do Livro da Vida, se Ele realmente for destruir aquele povo. Deus da mesma maneira que permitiu que Abraão intercedesse a Ele por Sodoma e Gomorra, até desistir de clamar, concede o favor que Moisés lhe pede e mesmo quando diz que não seguirá com o povo, pois do contrário os consumiria a todos pelo caminho, Moisés pede que não lhes fizessem sair daquele lugar se A PRESENÇA DE DEUS não fosse com eles...

Moisés achou graça aos Olhos do Eterno, Deus o conhecia pelo nome, e o mesmo DEUS, que quando Salomão inaugurou O Templo entrou naquela Casa feita por Mãos humanas, sendo que o próprio rei disse que nem os Céus dos céus podiam conter a Sua Glória demonstrou primeiro a Moisés que tem prazer em fazer coisas impossíveis, só para se relacionar com quem Realmente O Ama.

David, pensa em construir uma Casa para Deus, coisa que jamais ninguém pensou, e quando o seu filho a inaugura, Deus entra na Casa para dizer: Vim por causa do coração de seu pai.

Moisés pede para ver a FACE do ETERNO, e ninguém jamais viu a SUA FACE e permaneceu vivo, mas, este desejo pela PRESENÇA DE DEUS, este desejo por relacionamento; este desejo que foi rejeitado pelo pecado de Adão, é tão valorizado pelo Todo Poderoso.

"Entre na fenda da Rocha" Qual é a Rocha que está junto ao Eterno? Quem é O Rochedo da Nossa Salvação? Quem é a TZUR ISRAEL? Sobre qual Rocha o Moderno Estado de Israel foi fundado, através da declaração de Independência lida por Ben Gurion em 1948? Quem é a Rocha sobre a qual a KEHILAT (A CONGREGAÇÃO DO MASHIACH - A IGREJA), foi fundada? Quem é a Rocha que foi ferida na Cruz do Calvário? Quem é a Rocha que foi transpassada por nossos pecados e moída por nossas iniquidades? Qual é A Rocha fendida, de onde nos provém A Cura? YESHUA É A ROCHA FENDIDA! "Entre na fenda da Rocha!"

"Eu porei a minha mão sobre a fenda da Rocha e então passarei e quando passar por ti, você sairá da fenda da Rocha e me verá pelas costas, mas, a Minha face não verás" - Quanta manobra parece que Deus faz, para atender o pedido de Moisés... "Farei a Minha Bondade passar por você" - Moisés pede para ver a Face do Eterno e Deus diz que lhe mostrará a Sua Bondade.

Que Glorioso! O povo de Israel perdeu uma grande chance, com o pecado do Bezerro do Ouro, mas, o dia em que Moisés desce com as Segundas Tábuas da Torah é justamente o décimo dia do sétimo mês - YOM KIPUR.

Quando Yeshua entrou em Jerusalém e as multidões diziam: BARUCH HABA BESHEM ADONAI, Yeshua disse: - "Nunca mais me verão até que todo Israel diga: BARUCH HABA BESHEM ADONAI."

O dia que isso aconteceu foi o décimo dia do primeiro mês, mas, aquela geração perdeu o tempo da sua visitação e por isso tantos morreram em seus pecados, mas, como nos dias de Moisés, sempre haverá um remanescente fiel, como foram os Levitas, e que vão preferir e desejar A PRESENÇA de Deus a qualquer coisa deste mundo.

O rosto de MOSHE RABEINU, estava brilhando quando ele desceu do Monte em que esteve na Presença de Deus, e nisso mais uma lição: Moshe nos deixa saber que a Glória é estar com Ele. 

Não podemos viver da Glória do passado, dos momentos incríveis que tivemos com Deus. O ETERNO É ETERNO, e há mais NELE... Muito mais, infinitamente mais...

Não vamos trocar a Glória de Deus por coisa alguma!
Não vamos trocar O Deus Vivo, por qualquer coisa...
Não percamos tempo em fazer máscaras para que as pessoas achem que A Glória ainda está em nós, quando não está mais...

VAMOS SUBIR A MONTANHA,
VAMOS PRA VER O SENHOR,
VAMOS SUBIR A MONTANHA
O SENHOR NOS GUIARÁ!!!!


HÁ MUITO MAIS EM DEUS!!!!!


KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem