segunda-feira, 14 de maio de 2018

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DO BRASIL PELA MUDANÇA DA EMBAIXADA BRASILEIRA PARA JERUSALÉM



Brasília, 14 de maio de 2018.

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República Federativa do Brasil

Vossa Excelência, Michel Temer

Assunto: MUDANÇA DA EMBAIXADA BRASILEIRA  EM ISRAEL PARA JERUSALÉM

Vossa Excelência, 

O Conselho Apostólico Brasileiro, através deste pronunciamento, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência para expressar o anseio de milhões de cristãos evangélicos em nossa nação brasileira. Nossa firme convicção é que a cidade de Jerusalém já é a sede do governo do Estado de Israel e, portanto, deve ser reconhecida como capital de facto.

Assim como já fizeram as nações dos Estados Unidos da América, Guatemala, Honduras e Paraguai, reconhecendo tal verdade estão se mobilizando para que as embaixadas de seus países possam levar suas representações nacionais para o local aonde encontra-se a sede do governo israelense, bem como o seu Parlamento e a sua Suprema Corte. 

Nosso anseio é que a nação brasileira, da qual hoje Vossa Excelência é o maior signatário, possa também tomar a decisão histórica de declarar e iniciar preparativos para que a embaixada brasileira em Israel passe a ser também sediada na “Cidade do Grande Rei”. Edificada por Davi, há cerca de três mil anos, conforme atestam a história e arqueologia, foi sitiada, destruída e reconstruída tantas vezes, reunificada em 1967, na histórica Guerra dos Seis dias, conforme as palavras do salmista: “Jerusalém, cidade unificada”.

Por duas vezes este Conselho, através dos proeminentes líderes apostólicos de várias denominações cristãs evangélicas do Brasil, estiveram no Palácio do Itamaraty, sendo recebidos pelo atual Ministro das Relações Exteriores de seu governo, sua excelência senhor Aloysio Nunes, bem como o seu antecessor no mesmo cargo, o ex-Ministro Sr. José Serra, a fim de expressar a nossa preocupação quanto à posição brasileira em votações na ONU/UNESCO, que insistem em não reconhecer os inegáveis vínculos dos judeus e cristãos com o Monte do Templo, com a Cidade Velha de Jerusalém e com o Muro Ocidental (também conhecido como Muro das Lamentações).

Nesta oportunidade, no entanto, rogamos à Vossa Excelência, que o Brasil novamente, como invoca a nossa história, demonstrasse apoio a Israel. O maior exemplo disso foi através do chanceler Osvaldo Aranha, que presidiu a memorável sessão da Organização das Nações Unidas em que o povo judeu teve reconhecido o direito de erguer na Terra de seus antepassados, o moderno Estado de Israel, que neste 14 de maio completa 70 anos, sendo uma oportunidade propícia para que também possamos reconhecer que Jerusalém é a capital indivisível do Estado de Israel e, como nação, possamos assentar a nossa embaixada, fazendo parte das nações bem-aventuradas que, sobre a pátria judaica e sobre o povo judeu, estendem mãos pacíficas e reconhecem seu direito de autodeterminação  para assim lhe abençoarem.

A única democracia no Oriente Médio, local de reconhecida expansão tecnológica, social e cultural. Israel respeita as diferenças e protege as minorias, portanto deve ser alvo de nosso mais profundo respeito e admiração. Porém, desta feita, deveria ser alvo de uma AÇÃO HISTÓRICA, que nós, cristãos brasileiros de várias matizes, esperamos ainda em seu governo, como um ato de bravura, galhardia, altruísmo e evidente importância, o RECONHECIMENTO DE JERUSALÉM COMO CAPITAL DO ESTADO DE ISRAEL, COM A CONSEQUENTE MUDANÇA DA EMBAIXADA BRASILEIRA PARA LÁ. 


Arles Marques, Secretário Geral
CONSELHO APOSTÓLICO BRASILEIRO

Membros do Conselho Apostólico Brasileiro: 
Arles Conde Marques, Dawidh Alves, Ebenézer Nunes, Francisco Maia Nicolau,  Hudson Medeiros, Jesher Emílio Cardoso, Joaquim José Silva Jr., Luiz Scultori, Neuza Itioka, Paulo Tércio Lopes Silva, Paulo de Tarso Cavalcante Fernandes, Rinaldo Seixas Pereira, Sinomar Fernandes Silveira, Valnice Milhomens,