sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

MISHPATIM - JUÍZOS




MISHPATIM - JULGAMENTOS

Êxodo : 21: 1 a 24:18
Jeremias: 31: 31 a 33; 33: 25 e 26 e 34: 8 a 22


"São estes os juízos que lhes proporás:" (Êxodo 21:1)

Que discussão mais acalorada há entre cristãos e judeus crentes em Yeshua, sobre o cumprimento ou não das Leis da Torah, diante da Graça concedida a todos nós por Yeshua.

Logo o peso das 613 MITZVOT (Mandamentos), coisa que sabemos muito bem, ninguém com exceção do MASHIACH, jamais cumpriu. Nem Moshê (Moisés), nem David, nem Eliahu Hanavi (Profeta Elias), nem mesmo Daniel (a quem a Bíblia aparentemente não descreve erros ou pecados, era homem e por isso, pecador.

Se 613 são demais, vamos resumir para 10 (As dez Palavras escritas pelo Dedo de Deus nas tábuas dadas a Moisés). Infelizmente nenhum homem, conseguiu manter puro o seu caminho obedecendo às 10 Palavras, por todos os dias de sua vida. NENHUM.

Pensar que Yeshua resumiu tudo em dois mandamentos (as Mitzvot todas e as Dez Palavras) - Apenas dois mandamentos resumem não só toda a Lei, mas, também os profetas. E ainda assim o homem não consegue Amar a Deus sobre todas as coisas e o seu próximo como a si mesmo.

Lembremos que O Eterno disse ao homem no Jardim do Eden: "Desta árvore não comerás." E nem isso, o homem pôde guardar.

Quem se justificaria diante do Eterno pelas Leis? Ninguém! Nunca.

Não devemos cumprir os seus mandamentos por conta disso? Sim devemos! Sabendo que não andamos em seus mandamentos com o alvo de nos justificar, pois as Leis mostram o quanto somos deteriorados por conta do Pecado, mas, então se não conseguimos cumprir mesmo, então vamos nos dar à devassidão, já que não conseguimos mesmo... DE MANEIRA NENHUMA!

Avraham Avinu (Nosso pai Abraão), viveu sem Lei, mas, agia segundo a Lei em vários aspectos de sua vida, pelo que foi Justificado, não por ter sido Circuncidado (coisa que a Lei ordena), mas, por ter amado a Deus e pela Fé ter tomado ações que estavam em seu coração e principalmente Ouvindo a Deus e sendo guiado por Ele, muito mais, depois que o próprio Eterno disse a ele: "Anda diante de Mim e sê perfeito."

Abraão teve o sinal da circuncisão, porque foi Justificado pela Fé.

"Ora, como recebestes Cristo Jesus, O Senhor, assim andai Nele, Nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças." (Col. 2: 6)

Andar diante Dele - Andar Nele

"Eu lhes tenho transmitido a Glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e Tu em Mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que Tu me enviaste e os amaste, como também, amaste a Mim." (Jo. 17: 22 e 23)

"SHEMÁ ISRAEL ADONAI ELOHEINU ADONAI ECHAD" - "Ouvi Israel, o Eterno nosso Deus, o Eterno é Um." (Dt. 6:4)

Yeshua e o Pai são Um, e Ele (Yeshua), se deu a nós, foi enviado a nós, deu-nos a Glória que Ele recebeu do Pai, para que sejamos Um. Ele em nós, O Pai em Yeshua. 

Sentir o Amor de Deus por nós, através de uma entrega tão grande e preciosa, para que unidos neste Amor o Mundo perceba que há uma diferença! 

Que o Amor de Deus manifesto em nós seja esta diferença e assim como uma uma Luz Poderosa, as trevas que cercam este mundo possam ser destruídas.

Se o Pai Abraão teve a oportunidade de Andar Diante de Deus, à ponto de entregar o seu próprio filho, com fé de que ainda que ele fosse morto, por causa da promessa, Deus poderia ressuscita-lo, o quanto podemos hoje viver em Glória andando Nele (CRISTO - O MASHIACH em nós, esperança de Glória)?

Estando em Cristo - no Mashiach, assentados à Destra do Pai, nas maiores alturas, muito acima de principados e de potestades, o quanto podemos e poderemos exercer a autoridade que nos foi dada como Congregação do Mashiach (a Minha Igreja - como disse a Pedro), contra quem as "portas do Inferno", não prevalecerão?

DO QUE SE TRATA?

A Parashá Mishpatim começa a trazer diretrizes (Juízos), sobre questões de escravidão; contém advertências quanto a atos de violência de um irmão para com o outro, dentre os filhos de Israel; de propriedade e das relações comerciais e contratuais; também de questões morais e de ordem sexual; bem como de zelo para com os fracos e necessitados do povo; questões de cunho religioso e cívico. Em resumo Mishpatim estabelece juízos para a segurança e a sobrevivência da sociedade. São as Leis civis dadas por Deus para as relações interpessoais no meio do seu povo.

Porque começa falando de Escravidão? Porque o povo de Deus foi escravo no Egito. Eles sabem o que padeceram lá! Deus os libertou da escravidão. Como poderiam manter seus irmãos agora em escravidão. Percebam que as Leis são dadas para o povo de Deus. 

Não foi algo dado por Deus para os filisteus, mas, para o povo de Israel.

Porque as pessoas se metem em escravidão? Diferente do que para nós brasileiros é tão próximo, com a terrível escravidão de africanos e seus descendentes que nasceram no Brasil e nas Américas, escravidão que se iniciava muitas vezes, quando crianças, homens e mulheres eram arrancados de suas famílias e de seu lugar de origem e transportados como animais para servirem até à morte, como propriedade de seus "senhores".

A Torah nos fala de pessoas que se colocaram em posição de escravidão por dever a outras e não ter como pagar. As dívidas escravizam ainda hoje! 

Quem disse que a escravidão foi abolida no Brasil, não deve acompanhar os jornais ou jamais dever ter ido a um destes bancos onde idosos são chamados para obterem "créditos consignados", aparentemente dinheiro fácil a ser descontado depois em "suaves prestações" dos benefícios de sua aposentadoria.

Tão terríveis quanto os caçadores de escravos e sujos quanto os navios negreiros, estas instituições autorizadas por um governo longe do temor do Nosso Deus, escraviza viúvas, incapazes, sob as "Leis de um país", que está e vai ainda mais ser julgado por Deus, como O Eterno julgou o Egito, seus deuses e seu modo de vida.

Mas, no meio do povo de Deus, isso não pode ser assim! Na família, entre os filhos de Deus, precisamos agir de forma diferente! Tivemos um encontro com o ETERNO que nos livrou, e hoje podemos e DEVEMOS andar Nele, no MASHIACH!

Devemos viver esta verdade: "Não sou mais eu quem vive, mas, O MASHIACH vive em mim." - Se é assim, amar o próximo como a nós mesmos não é uma obrigação é uma ação desta nova natureza que nos foi dada em Cristo. Não fazemos porque está escrito, fazemos porque está em nós, escrito em nós, faz parte de nós, se é que estamos Nele de fato, andando Nele e Ele está em nós.

Há quem, sendo bem tratado pelo seu senhor, (imaginamos aí uma situação de dívida, que fez com quem alguém, tivesse que trabalhar para o seu credor até saldar tal pendência), desejasse permanecer como "ESCRAVO", para isso deveria passar por um procedimento diante das autoridades de todo o povo, para que uma marca fosse feita em sua orelha, manifestando então uma escravidão permanente, não por dívidas mas, por Amor.

Os Mishpatim (Juízos), de Deus iniciam falando da Escravidão, e anunciando que no sétimo ano, todo escravo sairia livre, "DE GRAÇA" (Hinam - graciosamente, imerecidamente, gratuitamente). Quando desde o início desta Parashá vemos então uma ligação entre os Juízos que servem para estabelecer bases justas nas relações interpessoais, mas, isso está apontando, está ligado ao Governo do MASHIACH nesta Terra, lembrando que para Deus: "Mil anos é como um dia e um dia como mil anos".

Sabemos que Yeshua reinará no Shabat dos milênios, e que desde a queda de Adão, nós os BEN ADAM, (os filhos de Adão), temos peregrinado neste mundo já por quase SEIS MIL ANOS, ou seja, a Sexta-feira está se encerrando e o Shabat já vai começar, não seremos mais escravos, seremos Livres, de graça, pela Graça que nos foi dada... 

Pois pela Fé, assim como o nosso Pai Abraão, nossa Fé Nele, nos deu firme Esperança, que no sétimo dia Ele, Yeshua reinará.

Conseguimos então, entender porque logo depois dos MISHPATIM, seguem os EDUTIM (EDUT - Palavra para Testemunho - Leis que apontam para fatos históricos ou que ressaltam algum aspecto da Fé. EDUTIM - Testemunhos).

Seguindo a mesma linha de vincular os EDUTIM (os Testemunhos) que vão falar do Descanso da Terra, do Shabat e das Festas (Hagim), com o período de seis anos em que a "Terra será cultivada", descansando no sétimo ano; à semelhança dos seis dias de trabalho que é sucedido pelo SHABAT, pois "O SÉTIMO É DO ETERNO!"

As festas deveriam ser celebradas de ano em ano. Três vezes por ano, todos deveriam encontrar-se diante da Face do Eterno. Do que falam as HAGIM - As festas? Todas apontam para o Ministério do MASHIACH, que morreu e ressuscitou por nós (PÊSSACH e Yom Habikurim - Dia das Primícias); A confirmação da Torah, que se fez carne e habitou entre nós e o Derramar do Espírito Santo (SHAVUOT) e por Fim O Governo do Mashiach durante Mil Anos neste mundo e a Celebração de SUCOT.

Andar Nele, agir como povo de Deus nesta Terra, na grande expectativa da manifestação do Seu Reino. No cumprimento de toda a Sua Palavra. Naquele que veio e certamente voltará!

SE QUISER GRITAR... GRITE!!!!
MARANATA!!!! VEM O SENHOR!!!!!

Depois de tudo isso a promessa da Terra: (Vale à pena reler):

"Servireis ao ETERNO, vosso Deus, e Ele abençoará o vosso pão, e a vossa água; e tirará do vosso meio as enfermidades. Na tua terra, não haverá mulher que aborte, nem estéril; completarei o número dos teus dias. Enviarei o meu terror diante de Ti, confundindo a todo povo onde entrares; farei que todos os teus inimigos te voltem as costas. Também enviarei vespas diante de ti, que lancem os heveus, os cananeus, os heteus de diante de ti. Não os lançarei de diante de ti num só ano, para que a terra se não torne em desolação, e as feras do campo se não multipliquem contra ti. Pouco a pouco, os lançarei de diante de ti, até que te multipliques e possuas a Terra por herança." (Ex. 23: 25 a 30)

É lindo demais, perceber que Deus está fazendo todas estas coisas devagarinho... enquanto nos multiplicamos para possuir a Terra, ele vai fazendo nossos inimigos darem às costas para nós... Nos tornamos cada vez mais "Personas non gratas" para eles, e eles vão sendo expulsos, destruídos... Devagarzinho... Nosso crescimento de um lado, a bênção de Deus sobre nós de um lado... Devagarzinho... Enquanto do outro lado, o mal está sendo julgado...

COMO TERMINA TUDO ISSO? (esta Parashá)


DEUS FAZ UMA ALIANÇA 
COM O POVO DE ISRAEL


As pessoas destacadas nesta Aliança são Moisés e Arão seu irmão, figuras proeminentes desde a saída do Egito. Setenta anciãos de Israel, afora o Povo de Israel que aparece como se fosse uma só pessoa. Além destes personagens dois são destacados pelo nome: NADABE E ABIÚ (Nadav e Avihu - "Generoso" e "Ele é o meu pai"). 

No encerramento desta Porção, depois de Moisés ter aspergido Sangue, sobre o Altar e ter relatado a todos estes personagens as Palavras de Deus, seus MISHPATIM (Juízos), todos disseram:

"NAASÊ VENISHMÁ" - "faremos e ouviremos (obedeceremos)".

Moisés também aspergiu sangue sobre o povo para Selar aquela Aliança... RESULTADO?

Na primeira oportunidade que tiveram quase todos pecaram contra Deus, e foram pecando e pecando até que todos aqueles que disseram "NAASSÊ VENISHMÁ", com exceção de Josué e Calebe, estivessem mortos e sepultados naquele deserto.

NÃO ESTÁ EM NÓS, O PODER PARA FAZER E OBEDECER... ESTÁ NELE... ANDEMOS POIS NELE!

"Eis aí vêm dias, diz O ETERNO, em que firmarei NOVA ALIANÇA com a Casa de Israel e com a Casa de Judah. Não conforme a Aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da Terra do Egito; porquanto eles anularam a minha Aliança, não obstante eu os haver desposado, diz O ETERNO. Porque esta é a Aliança que firmarei com a Casa de Israel, depois daqueles dias, diz o ETERNO: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; Eu serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo." - (Jer. 31: 31 a 33)

Ainda há capítulos para serem escritos entre O ETERNO e o povo que Ele fez para sua Glória e para ser o Seu especial Tesouro, mas, nós que fomos enxertamos nesta Glória e nesta Vida, andemos nós com temor, sabedores que não está em nós o "fazer e obedecer", mas, na nossa total dependência Dele, a quem servimos como servos do Amor, a quem decidimos servir. Ele que colocou em nós a Sua Palavra, através do Seu Espírito Santo e por isso: tudo o que fizermos e pensarmos seja por andarmos Nele, (por Amor), porque nós estamos Nele e Ele está em nós.


A ELE SEJA A GLÓRIA ETERNAMENTE! AMÉM!!!


KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem