sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

VAISHLACH - E ENVIOU



VAISHLACH - E ENVIOU

Gênesis 32: 3 a 36: 43
Obadias 1:1 a 21
Mateus: 16: 13 a 28 e João. 21: 1 a 19

E enviou Jacó mensageiros diante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, o território de Edom, 
(Gen 32:3)

Jacó foi em toda a sua vida um sofredor. O Patriarca, por quem seriam chamados todos os descendentes de Abraão, lutou desde o momento de seu nascimento quando agarrava o calcanhar de seu irmão, até o momento de sua morte, longe da Terra Prometida, vivendo no Egito.
No início de sua vida, fez com a força de seus braços, com sua sagacidade as conquistas que entendia lhe eram devidas e sofreu muito por isso.

Comprou a Primogenitura de seu irmão, mesmo tendo Deus declarado que seu irmão o serviria;
Enganou a seu pai, para ser abençoado; nós nunca saberemos o que aconteceria se Jacó tivesse confiado em Deus;
Jacó nunca mais viu sua mãe, que tanto lhe amava;
Jacó vai trabalhar para seu sogro e é terrivelmente enganado por ele diversas vezes;
Jacó tem de fugir com toda sua família e quando foi achado por seu sogro ainda é humilhado;
Enfim, Jacó, tem de enfrentar agora o momento mais terrível de sua vida... Vai ter de enfrentar a fúria do seu irmão que jurou matá-lo, pelo engano que sofrera.

Jacó, usando a mesma forma de agir de sempre, depois de enviar mensageiros a seu irmão, ora a Deus pedindo livramento e ao mesmo tempo envia presentes a Esaú seu irmão, na expectativa de lhe abrandar a fúria. Esaú vai ao seu encontro com um exército. Imaginem o temor de Jacó.

Jacó com medo da vingança e fúria de seu irmão, decide separar em dois grupos suas mulheres e filhos, para que se Esaú desse contra um o outro grupo pudesse fugir e sobreviver.... A Luta pela sobrevivência, transformou-se na luta mais terrível que Jacó estava por enfrentar, era o que ele pensava.

Quando ele fez com que todos passassem pelo ribeiro em direção da Terra da Promessa, Jacó ficou sozinho e então lhe aparece o Anjo do SENHOR, Jacó se engalfinha com este ser, numa luta que dura toda a noite, o que ele pensou para se lançar assim à luta? Será que imaginava que era o próprio Esaú e tentava salvar sua vida? Será que temia ser um dos homens enviados por seu irmão para matá-lo? A verdade é, que Jacó lutava com Deus...

Qual pai, já não brincou de lutinha com seu filho? Os pais, adultos, com 3, 4 ou 5 vezes mais peso que seus filhos, se entrelaçam entre braços e pernas, e demonstram até certo ponto que a luta é aguerrida e que o filhinho tem alguma chance de vencer. Quantas vezes os pais, querendo demonstrar o orgulho de ver seus filhos não desistirem, "pedem água", e declaram vencedor os filhos, os "campeões" de todo pai. 

Não parece ter sido diferente tal luta! A noite toda o Anjo do Senhor, peleja com Jacó, e dá a impressão que não pode prevalecer contra o filho de Isaque, mas, quando chega pela manhã, apenas lhe toca na articulação da coxa, e Jacó passa a manquitolar por todo resto de sua vida... Que poder! Com um toque, o Patriarca ficou marcado para sempre!

A luta não era contra Esaú, a luta era com Deus. A Luta é contra nós mesmos! 

Quando Deus tem um propósito com as nossas vidas, a maior luta que travamos é contra nós mesmos e Deus vem em nosso auxílio para nos fazer perder esta batalha... Quando amamos a nossa vida sem Deus, haveremos de perdê-la, mas, se desprezamos a vida em que fazemos tudo pela força de nosso braço ou por nossa sagacidade, aí sim, achamos a Vida que Deus sonhou para nós... Deus nos permite chegar à Conclusão que sem Ele, nós nada podemos fazer...

Quando o Anjo do Eterno (Yeshua antes de manifestar-se em carne), pergunta: - Qual é o seu nome? O Patriarca declara: JACÓ - YACOV - Suplantador, enganador, embusteiro, é o meu nome...

Pois a declaração que se segue é a marca da atuação de Deus na vida das pessoas. Deus passa a chamá-lo de Israel. Israel nome que indica um homem segundo Deus, tem curiosamente o nome de cada um dos patriarcas sepultados na caverna de Macpelah, a saber: I de seu pai Itzchak, S de Sarah; R de Rivka; A de Avraham e L de Lea, sua primeira mulher.

Alguns que clamam pela Presença de Deus, pela Manifestação Poderosa de Deus em suas vidas, jamais poderiam imaginar que este encontro deixaria marcas como um defeito físico para o resto de suas vidas. 

Quando Jacó, reconhece quem é, o quanto falhou, o quanto fez para alcançar o que queria. Quando ele percebe que nada do que fez o  livrou de deparar-se com o seu passado, e que só O Eterno poderia libertá-lo de si mesmo. Quando Jacó percebeu que o grande inimigo, não era o seu irmão, mas, era ele mesmo... Deus lhe promete prosperá-lo ainda mais, fazer dele uma multidão de povos, assim como Isaque seu pai, recebeu tal promessa de seu pai Abraão, tudo isso agora passou a pertencer a Israel.

UM ENCONTRO COM DEUS MUDA NOSSA VIDA PARA SEMPRE!

Mancando, mudado, Israel, seguro, abençoado, o Patriarca segue ainda temeroso para o encontro com seu irmão. Esaú o abraçou com saudade, choraram juntos amargamente, pois, o mais velho não se importava mesmo com o que Jacó valorizava tanto, mas, Esaú o amava mesmo assim, mesmo sendo traído por seu irmão, o perdoou.

Mesmo com este aparente desfeche tão lindo, Israel parece não confiar nas intenções de Esaú e desculpa-se mantendo uma distância razoável de seu irmão. No futuro os descendentes de ambos seriam inimigos. Os piores inimigos, até que todos os descendentes de Esaú fossem definitivamente erradicados da face da Terra.

Edom (Esaú), que toma mulheres para si entre outras nações, contaminou-se com seus deuses, e gerou uma descendência nos filhos de Ismael, de onde surgiu Amaleque, que seria um povo odioso, sob a influência do Mal, que perseguirá por todas as gerações os filhos de Israel.

Deus passou então a falar com Israel e a conduzí-lo em cada um de seus passos, embora o Patriarca continuou a sofrer com situações tão terríveis em sua família, como o estupro de sua filha Dinah; a desonra de Simeão e Levi, que não obstante a palavra de Israel, seu pai, mataram todos os homens de Siquém.

Dor mais profunda ainda se deu quando Israel vê cumprida a maldição que lançara sobre a pessoa que tivesse roubado os ídolos de seu sogro, sem saber que a mulher a quem amava, Rachel, tinha sido a responsável por tal situação. 

Rachel morre em Betlehem, enquanto dava à Luz a Benjamim, a quem chamou Benoni - Filho das minhas dores...

Israel, que viu Deus mudar o seu destino, mesmo perdendo sua amada, decidiu não levar para sua casa para então criar o "Filho das dores", o filho do desespero e da tristeza, mas, Israel, que teve o seu destino mudado por Deus, decide levar para sua casa e criar a "BEN YAMIM"  (Benjamim) - O Filho da Mão Direita, O Filho da Bênção. Esta forma de ver o mundo passa a ser a marca do Patriarca, que mesmo enfrentando as piores situações, passou a confiar n´Aquele que muda destinos!

Esta mudança de nomes: YAKOV para ISRAEL; BENONI para BENYAMIM, nos faz lembrar de alguns momentos da vida de  SHIMON (Simão), a quem Yeshua o chamou de KEFAS  - Pedro   ou pequena Pedra, Pedregulho...

Shimon ben Yochanam, Simão, filho de João, chamado por Yeshua para ser seu discípulo e apóstolo, tomou a iniciativa de dizer claramente quem ele cria ser Yeshua. Ele pelo Espírito Santo declarou: - "Para mim, tu és o Mashiach, O Filho do Deus Vivo".

Yeshua reconhecendo que esta declaração vinha da parte do RUACH HAKODESH (O Espírito Santo), chamou Pedro de (SIMÃO BARJONAS) - "Shimon BAR-YUNIS" - Simão Filho da Pomba. YUNIS, (Jonas) não era o nome de seu pai, mas, Yeshua estava lhe dizendo que ele tornara-se filho da Revelação, Filho da Pomba (símbolo do Espírito Santo que veio sobre Yeshua em forma de pomba, logo depois que saiu das águas em seu batismo).

Yeshua ainda declara: - "tu és KEFAS" (Pedregulho), diante do Grande Monte Hermon, Yeshua compara Kefas a uma pedra sacada da Rocha, da TZUR. 

Uma Pedra sacada da Rocha. Uma pequena porção da mesma essência e com as mesmas características da Grande Rocha da qual foi sacado... Assim é todo aquele que é nascido de Deus! Isso é ser um cristão, um "messiânico", alguém que pelo MESMO ESPÍRITO que ungiu O MASHIACH, será dirigido, guiado e transformado à semelhança do nosso Glorioso Rei.

TZUR ISRAEL - A Rocha de Israel, foi o nome escolhido pelos fundadores do Estado Moderno de Israel, para se referirem ao Eterno. Esta Gloriosa Rocha sobre a qual, a nova nação foi fundada em 1948. Curiosamente o nome da 1ª Beit Knesset (Siganoga) do Brasil, fundada em Recife; foi: Sinagoga Tzur Israel - O Rocha de Israel, o Rochedo da Nossa Salvação. Uma das formas pela qual os crentes em Yeshua, judeus e não judeus, se referem ao Mashiach.

Mesmo diante da pequenês de Kefas, em face da Grandeza da TZUR ISRAEL, Yeshua declara: "Eu te darei as chaves do Reino dos Céus"; "o que abrires ninguém fechará e o que fechares ninguém abrirá"; sobre esta TZUR edificarei a minha KEHILAH (a minha Igreja), e as portas do inferno não prevalecerão contra ela... 

Ali em frente aos nichos esculpidos na Rocha, para falsos deuses, diante do templo para o deus Pan; e os demais templos, Yeshua dá autoridade a Kefas e a todos quanto no futuro, pelo RUACH HAKODESH, fossem conduzidos ao mesmo entendimento, que YESHUA É O FILHO DO DEUS VIVO!

Algo tão profundo, tão glorioso, não impediu que Pedro (Kefas), errasse logo em seguida, aconselhando a Jesus parar de falar sobre sua morte na Cruz, O Mestre precisou repreendê-lo, percebendo ali uma atuação de Satanás.

Estes altos e baixos, momentos gloriosos e falhas horríveis, são  uma constante no ser humano, consequência do Pecado. Esta têm sido a marca dos filhos de Israel, que não deixaram de ser também filhos de Jacó.

Pessoas cheias do Espírito Santo, que incrívelmente e horrivelmente se metem em situações, em que todos se perguntam: Como pôde?

Dependência de Deus! TOTAL DEPENDÊNCIA DE DEUS é a resposta... No dia que o homem achar que deixou de ser o VERMEZINHO DE JACÓ, este está fadado à destruição...

O mesmo Pedro, o primeiro homem a reconhecer que Yeshua era o Mashiach, pouco depois é repreendido pelo Mestre, pois se tinha deixado usar por Satanás. Ele que vira com seus próprios olhos a Moisés e Elias, no dia em que no cume de um alto monte, provavelmente no cume do Hermon, Yeshua transfigurou-se, aparecendo diante dele, de Tiago e João, glorificado, é o mesmo Pedro que nega Yeshua três vezes e que chega a "praguejar", para deixar claro que não o conhecia, enquanto Yeshua era espancado na casa do Sumo Sacerdote.

Pedro, que de tristeza e por achar que não estava apto para o que Deus esperava dele, mesmo depois da Ressurreição de Yeshua, decide voltar a pescar, e vários de seus amigos, pescadores chamados para serem Apóstolos do Cordeiro, foram com ele. 

Quando depois de uma noite toda sem pegar coisa alguma, O Mestre aparece na praia, como que zombando deles e perguntando de longe: - "E aí, pegaram alguma coisa?" Pois Yeshua, como fizera outras vezes lhes disse: "Lancem a rede do lado direito do barco", e mesmo depois de uma noite toda a lançaram e as redes encheram-se de 153 GRANDES PEIXES...

Kefas, percebendo por este milagre tão grande, que só um podia fazer algo assim, vestiu-se e se lançou ao mar... O Apóstolo talvez creu que as águas de novo seriam um solo firme para os seus pés, mas, para ele não importava mais, pois se as águas não se firmassem ele iria nadando... A única coisa que ele queria era estar com Yeshua novamente... Por segundos Kefas se esqueceu que há poucos dias ele o tinha negado três vezes.

Neste reencontro com Pedro e com os outros discípulos, Yeshua tinha um fogo aceso em brasas e peixes e pães quentinhos esperando por eles... 

Que gozo deve ter sido este reencontro, ali, à beira do Kneret (o Mar da Galiléia), local onde tantas vezes estiveram juntos com O Mestre... Pois neste ambiente de amor, Yeshua, por três vezes perguntou se Kefas o amava... O jogo das palavras usadas por João em grego, nos leva a entender que Pedro percebeu que não conseguia amar a Yeshua, com o Amor Perfeito com que tinha sido amado, e por três vezes Yeshua lhe diz: "ENTÃO, pastoreia as minhas ovelhas" - em outras palavras: 

Faça alguma coisa da sua declaração, porque até aqui você tem dito tantas coisas, mas, de tais palavras você ainda não fez nada.

Yeshua ensina a Kefas (Pedro) e a nós, que se ele seguisse nesta "toada",  neste seu estilo de vida, em algum tempo ele se tornaria um "velho gagá", que iria para onde as pessoas o levassem e vestiria o que as pessoas lhe dessem para vestir. Yeshua com isso lhe questionava sobre que tipo de morte, Kefas glorificaria a YESHUA.

Pois quando Kefas foi morto, pela tradição cristã, ao ser crucificado como o Mestre, pediu que pudesse ser martirizado de cabeça para baixo, para que não fosse confundido com Yeshua.

De qualquer forma, as lições estão aí para nós e para a nossa geração. Encontrar-se pessoalemente com Deus é a marca para uma vida de sucesso. O Sucesso, não indica que não falharemos de novo, que deixaremos em algum momento de depender de Deus, pelo contrário, quanto mais Deus nos usar, mais precisaremos Dele.

O Salmo 24 questiona: "Quem subirá ao Monte do Eterno e quem há de permanecer no Seu Santo Lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração" - O ÚNICO ASSIM É YESHUA....

Mas, também o  Salmista diz: "Assim é a geração daqueles que buscam a Face do Deus de YACOV".

Aqueles que buscam a Face do Deus de Yacov, do Deus que muda história, que transforma vidas, que muda destinos, são aqueles que por YESHUA, poderão subir e permanecer no Monte Santo do Eterno, não por seus méritos, porque ninguém os possui para isso, mas, por ELE, PARA ELE, PARA A GLÓRIA DELE ETERNAMENTE....

Quando nos encontramos com Deus face a face, como Israel, Ele nos revela quem somos, e nós conhecemos quem Ele é!

O Sujo se sujará mais ainda, o ímpio cometerá mais impiedade, mas, cabe a nós, que dependemos de Deus que nos santifiquemos cada vez mais ainda... Isso não está em nós, está Nele. 

Temos ao perceber  quem é que está diante de nós, largarmos tudo e corrermos para O Seu Encontro. O Encontro pode sim ser um confronto, pode sim nos deixar marcados para sempre, mas, SÓ HÁ SALVAÇÃO EM SEU NOME! Só há Esperança nele...

Yacov enviou mensageiros para saber como seu irmão o trataria, seu grande medo, era ter de encontrar-se com o seu passado... Deixe o seu passado nas mãos de Yeshua, encontre-se com Ele e conheça o seu futuro!

Há anos atrás, um iehudi (um judeu) muito meu amigo, que não crê ainda que Yeshua é O Mashiach me disse que a frase:

ANI ELOHIM - EU SOU DEUS - BEIVRIT (Em hebraico), já que cada letra corresponde a um número, revela o que os discípulos de Yeshua e Pedro entenderam, assim que desceram naquela praia com os 153 GRANDES PEIXES, que pescaram:


 אני אלוהים (ANI ELOHIM)
א - 1
נ - 50
י - 10
א - 1
ל - 30
ו - 6
ה - 5
י - 10
ם - 40

TOTAL = 153 - EU SOU DEUS!!!!




KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem