sábado, 21 de janeiro de 2017

TERAPIA OU CURA?





TERAPIA OU CURA?

Mateus 8: 5 a 13 / Lucas 7: 1 a 10
I Cor. 12: 4 a 11 
Êxodo 4: 1 a 17

Mateus 8: 7 - "Jesus lhe disse: 'Eu irei curá-lo' ". 

Logo depois de todo o ensino de Yeshua no Monte, ele volta a Kafar Nahum e é procurado por conta de uma enfermidade que estava vitimando um jovem, certamente judeu, que era servo de um Centurião Romano, alguém importante e que tinha cem homens sob seu comando (de onde vem a palavra Centurião - Centuria). 

As duas descrições de Mateus e de Lucas são muito curiosas, pois um deles andava com Yeshua e o outro não. Um estivera presente e outro não. Um cita que o próprio Centurião fala com Yeshua e o outro diz que alguns "líderes religiosos", foram procurá-lo, em nome do Centurião. A diferença dos relatos evidencia o que? Talvez um erro? Qual dos dois é o relato verdadeiro? Porque então o outro contou a história diferente? O que de fato ocorreu?

O que de mais maravilhoso está escondido atrás desta aparente discordância de relatos?

A primeira consideração é a dificuldade que temos em acreditar que um Soldado Romano, de certa autoridade, fosse até Yeshua para lhe pedir tal favor. A outra que não quer se calar é o que não aconteceria, que falatório se daria se vissem Yeshua entrando em sua casa? Já pensaram nisso? Será que o Centurião realmente não achou-se Digno de que Yeshua entrasse em sua casa, ou ele teria terríveis dificuldades e problemas se isso ocorresse?

Isso não muda o fato dele ter fé, e realmente crer que Yeshua poderia curar seu servo, depois de ter realizado tantos sinais em sua cidade. Kafar Nahum, neste tempo não devia falar de outra coisa, pois toda a cidade desde que Yeshua expulsou o demônio de um homem na Sinagoga da cidade, e em seguida curou a sogra de Pedro, talvez milhares de pessoas tenham sido curadas e libertas de possessões demoníacas. Todos falavam disso, por certo, e as pessoas curadas e libertas passaram a ser vistas por todos. O testemunho do Mashiach era impressionante.

Yeshua por sua vez, de fato, iria à casa do Centurião? Eu pessoalmente creio que sim, porém, vejo que ainda não era a hora. Haveria o tempo dos não judeus, mas, até ali, naquele momento toda a história era apenas com as "Ovelhas perdidas da Casa de Israel". 

Porque Mateus então que estivera presente, que era da cidade, que certamente conhecia o Centurião diz que foi ele quem falou com Yeshua. Enquanto, Lucas que nem esteve presente, conta em detalhes o que ocorreu de fato, e que foram os religiosos, chefes da Sinagoga que interpelaram a Yeshua?

Talvez fosse a mesma questão se alguém que ouvisse uma direção de Deus para a sua vida lendo a Palavra, ouvindo talvez de forma audível a Voz do Senhor, ou tendo um sonho, ou então, ouvindo uma pregação, ou uma Palavra profética, através da vida de alguém. Quem de fato falou? Foi Deus, ou foi o homem? A mensagem é do Eterno, ou foi inventada pela pessoa que a compartilhou? É CLARO QUE A MENSAGEM VEM DE DEUS! Ele usa quem Ele quer e a maneira que desejar para falar conosco, e nós ouvimos sua Palavra e a obedecemos, tão somente. É uma questão de Autoridade!

Portanto fica claro, que Mateus simplifica a história excluindo da narrativa os interlocutores, evidenciando a comunicação entre o Centurião e Yeshua, os principais personagens desta situação.

Se Lucas, entrevistou o próprio rapaz que fora curado? Se ele questionou mais à fundo como tudo se deu? Porque este fato não foi narrado por Marcos, já que os dois evangelhos de Mateus e Lucas tiveram a narrativa do primeiro Evangelho escrito para escreverem as suas, e portanto consideraram este milagre e como se deu, algo extremamente importante? Todas estas dúvidas poderemos  descobrir em breve no Céu, diretamente com Yeshua, ou quem sabe com o rapaz que foi curado, ou mesmo com o Centurião? Logo, logo! Lembremos de Deuteronômio 29:29 - "as coisas reveladas, para nós foram reveladas e as que estão ocultas pertencem a Deus". 

Voltemos para a questão de Autoridade, uma das maiores lições deste fato do ministério de Yeshua. O Nosso Deus e o seu Mashiach, tem toda a Autoridade, e as palavras que Ele nos ensinou no Monte, foram confirmadas por seu testemunho de vida e santidade e também pelo Poder que acompanhavam as suas Palavras.

Interesses

Numa extremidade desta história há um jovem que estava muito enfermo, Mateus diz que ele era, ou estava paralítico. Talvez uma doença, ou um acidente o deixara assim. Ele aparentemente estava sofrendo, por certo com muitas dores, e parecia que seu fim era iminente. 

Do outro lado da história, Yeshua, que tinha sobre si O Espírito de Deus, e que viera para restaurar a visão dos cegos, para curar os de coração quebrantado, para por em liberdade os oprimidos e para anunciar O Ano Aceitável do Eterno. Ele tinha poder e compaixão, para libertar aquele rapaz de seu sofrimento e dispôs-se a ir até aonde ele estava.

Entre Yeshua e o rapaz, um Centurião, homem bom, que se relacionava bem com as autoridades locais e que convivia em aparente paz com os habitantes de Kafar Nahum. O fato dele ter dado recursos para a construção da Sinagoga, onde provavelmente Yeshua esteve e que assistiu  a libertação daquele homem, é incrível. Nos parece tão mais colorido, ligarmos os fatos e a histórias da Bíblia, em que os personagens cada vez mais interagem entre si. O interesse do Centurião era que seu moço fosse curado. Ele demonstrava com isso ser realmente alguém justo e de bom coração, e que retribuía os bons serviços e a lealdade de quem estava a seus serviços com amor e bondade. 

Ele não usa a questão de ter dado recursos para atender as necessidades religiosas daquela população, como que estivesse cobrando o favor que fizera. Ele demonstra pelo contrário que o caminho de relacionamento que havia entre eles e os religiosos, poderia ser percorrido em um momento como estes de necessidade.

Os chefes da sinagoga por sua vez, (não queremos olhar para eles de uma maneira pejorativa, mas, é difícil não fazer isso!), vão até Yeshua e pelo relato de Lucas, contam em detalhes quem é O Centurião e qual era o nível de importância que um não judeu, como ele querendo e acreditando na cura do seu servo poderia ter.

É muito comum isso acontecer em nossas igrejas hoje. Algumas pessoas (os nossos religiosos de hoje) a saber que alguém importante, ou que nunca deu importância para as coisas de Deus, e que por alguma razão precisa de uma oração, ou de ajuda em certa situação de sua vida, nunca se atém apenas ao fato ou ao problema específico. É muito comum fazerem um relato pormenorizado de quem a pessoa é, do que ela faz, e talvez até de quão importante é... RELIGIOSOS! 

"Este homem merece que lhe faças isso, porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga". Sério?! Merece?

Alguém doente; alguém com fé; alguém com poder e alguns interesseiros. 

"Eu irei curá-lo".

A palavra usada no Evangelho de Mateus, (na tradução para o grego de seu Evangelho), diante daquele pedido, do Centurião, através dos religiosos foi: "Eu irei THERAPEUO". 

θεραπευω therapeuo;  1) servir, realizar o serviço 2) sarar, curar, restaurar a saúde.

É desta palavra que temos a expressão "TERAPIA" que significa o tratamento para uma determinada doença pela medicina tradicional, ou através de um tratamento complementar alternativo. Em outras palavras é como se Yeshua dissesse como resposta aos religiosos, e ao pedido do Centurião (sem julgar até então o coração daquele não judeu): "Está bem, Eu vou com vocês e vou fazer alguma coisa,  vou aplicar algum tratamento, ou dar para ele algo para que ele fique melhor, ou curado."

Não nos cabe compreender se por precaução do escândalo que geraria um Rabino como Yeshua entrar na casa daquele Centurião, ou mesmo por não achar-se digno da visita do Mestre, (A Palavra de Deus não deixa clara a intenção do homem, mas, YESHUA, exalta a sua Fé), porém, Aquele homem pede apenas UMA PALAVRA DE AUTORIDADE.

Autoridade não é algo humano, é divino. Toda autoridade provém do Trono do Nosso Deus. Há uma cadeia de autoridade que nos mantém ligados a Deus, e que se o mantemos sobre nossas vidas, vamos ter autoridade para nossas atribuições e se a rejeitamos, abrimos mão de operar com a Autoridade que vem de Deus.

Aquele homem conhecia pouco ou quase nada de Deus, mas, via na autoridade que possuía algo através do qual podia compreender a Deus. 

É incrível como pessoas que nunca ouviram falar do Evangelho, pela simples constatação de suas vidas, talentos, do mundo que os cerca, da gloriosa obra da criação de Deus que nos cerca, que existe um Criador dos Céus e da Terra, e que embora lhe seja desconhecido, Ele existe e deve ser reverenciado. Para pessoas assim, que ouvem a pregação das flores, das tempestades, dos silêncios, dos animais, ao ouvirem alguém falar de Yeshua e do Nosso Deus e Pai, simplesmente se rendem, pois sabiam que Ele existia e contemplam como verdadeiramente Ele se faz achado dos que O buscam.

Uma palavra! "A Fé vem por ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus". Ele quer uma Palavra apenas? "Assim como creu, lhe acontecerá!"

Yeshua diante de seus discípulos e para os líderes da Sinagoga que foram lhe pedir ajuda exaltou a Fé daquele Centurião, e disse que: "nem em Israel havia achado uma fé como aquela".

Yeshua não entra no mérito se o Centurião teria problemas ou não com a sua presença, não exalta a sua humildade (se realmente ele não se achava digno da visita de Yeshua), ele ressalta a Fé, em crer que bastaria uma Palavra para o rapaz ser curado. E então libera tal palavra. 

O final da descrição de Mateus, mais uma vez esconde uma surpresa na tradução das palavras para o Grego. Quando Mateus cita que na mesma hora em que Yeshua libera a Palavra, o menino fica são, ele usa a Palavra "ficou curado" - em grego:

ιαομαι iaomai 1) curar, sarar 2) tornar perfeito 2a) livrar de erros e pecados, levar alguém a salvação

O que tem de extraordinário nisso? É que é a mesma palavra usada por Paulo em sua primeira carta aos Corintios, quando ele fala dos Dons do Espírito Santo: "Dons de Cura" - "Charisma Iama", é a Palavra que Mateus usa para dizer que o menino ficará curado.

χαρισμα charisma 1) favor que alguém recebe sem qualquer mérito próprio 2) dom da graça divina 3) dom da fé, conhecimento, santidade, virtude 4) economia da graça divina, pela qual o perdão do pecados e salvação eterna é apontada aos pecadores em consideração aos méritos de Cristo conquistados pela fé 5) graça ou dons que denotam poderes extraordinários, que distinguem certos cristãos e os capacitam a servir a igreja de Cristo. A recepção desses dons é devido ao poder da graça divina que opera sobre suas almas pelo Espírito Santo

ιαμα iama 1) um meio de cura, remédio, medicamento 2) cura

A Fé do Centurião, permitiu que muito mais do que uma Terapia fosse realizada, muito mais do que alguma coisa para suavizar o sofrimento do rapaz fosse feito. A Fé gerou A GRAÇA E O PODER DE DEUS. E este testemunho está registrado para todas as gerações. O que você realmente quer? O que precisa? O que gostaria que fosse feito?

O Eterno, chama a atenção de Moshe Rabeinu no Monte Sinai, e lá diz que Ele ouvira o clamor de seu povo e que estava enviando Moshe para liberta-los. O Libertador de Israel demorou para crer, vendo a sua incapacidade humana até que Deus começou a lhe mostras sinais, e lhe disse que o Cajado que ele tinha em suas mãos seria como que um sinal de sua Autoridade. A vara que ele possuía e onde se escorava agora seria a Autoridade do Nosso Deus. 

Quando a vara de Moshe se transformou numa serpente e O Eterno lhe disse: "Pegue a serpente pela cauda", o que parecia loucura se transformou numa VARA DE AUTORIDADE. Ouvir a Voz de Deus e crer, é a porta entre o Mundo Espiritual e o Natural. A Materialização do invisível se dá por meio da Fé.

Moshe ainda achando-se incapaz, recebe de Deus a designação que seu irmão Aharon lhe seria por boca, mas, que Moshe seria como Deus diante do Faraó.

Numa ponta, o povo de Deus clamando por sua aflição, noutra, O Deus de Avraham, Itzhak e Yakov. Entre eles, Moshe, Aharon e Faraó. O Clamor moveu o coração de Deus, A Fé vai liberar O Sobrenatural e Deus livrou e livrará o seu povo.

Não importa a razão! O que importa é a Fé! Creia naquele que Criou tudo o que existe, Aquele que ainda sustenta todas as coisas pela Palavra do Seu Poder. Creia que basta uma Palavra da parte de Deus sobre a tua vida. Não importa quem vai trazer a Palavra, o que importa é que a Palavra saiu da Boca daquele que tem toda a Autoridade nos Céus, na Terra e debaixo da Terra.

Creia e Viva!

KI MITZION TETZEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião virá a Lei e a
Palavra do Eterno de Jerusalém!)


LEIA TAMBÉM O COMENTÁRIO DA PARASHAT HASHAVUA (A Porção da semana): SHEMOT (CLICK AQUI)

Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem