sexta-feira, 29 de julho de 2016

PINCHAS - PINCHAS



PINCHAS - PINCHAS

Números: 25: 10 A 30: 1
I Samuel: 2: 12 a 36 e 4: 1 a 22 e Ezequiel 44: 15 a 31
Atos 4: 32 a 5:11

Núm. 25: 10 a 13 - ׳׳Então falou O ETERNO a Moisés dizendo: PINCHAS, filho de Eleazar, filho de Arão, O Sacerdote, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois estava zeloso com o meu zelo, de sorte que, no meu zelo não consumi os filhos de Israel. Portanto dize: Eis que lhe dou a minha Aliança de Paz. E ele e a sua descendência depois dele terão a Aliança do Sacerdócio perpétuo; porquanto teve zelo pelo seu Deus e fez expiação pelos filhos de Israel."

Um dia recebi um pregador bastante conhecido em nossa igreja para ministrar e ele pregou sobre a vida de um personagem bíblico que ele dizia admirar muito. Curiosamente era o nome que ele deu a seu filho. Isso me abriu os olhos para entender algumas coisas e uma delas é que mais do que um bonito nome, um pai precisa educar seu filho para que ele possa responder ao Chamado de Deus para sua, vida evidenciado em seu nome.


Cada pai, assim como Adão recebeu de Deus o poder de dar nome a toda a criação, que é como ter o poder de marcar o destino de seus filhos através dos nomes pelos quais serão chamados. Nos parece que esta é a principal função de um nome (ser a expressão do Chamado de Deus na vida de alguém). Talvez seja por isso que várias vezes na Bíblia pessoas tiveram seus nomes mudados para que O Propósito de Deus em tais vidas se evidenciasse.


Esta Parashá, recebe o nome de PINCHAS (Finéias em português), que também é chamado pelo nome de seu pai e de seu avô, O Sumo Sacerdote Arão. Discute-se que este nome é de origem egípcia e significaria "de pele escura" ou "negro"; mas, em hebraico pode ter o sentido de "eloquente" ou "boca de cobre ou bronze" que teria o sentido de ser uma voz que chama ao arrependimento, que confronta os erros, uma voz profética.


Pinchas (lê-se em português: Pinrás), é um personagem muito pouco conhecido no meu cristão, mas, bastante notório no meio judaico. Ele é apontado como um dos espias que são enviados por Josué para Jericó, pouco tempo antes do início da Conquista da Terra Prometida. Também é Pinchas o enviado para confrontar as duas tribos e meia que tomaram posse de terras do outro lado do Jordão, logo depois que as terras todas foram dividias, já que estes construíram um altar, coisa que parecia ser um pecado contra Deus. 

No entanto o que realmente este Sacerdote que chegou a assumir a função de seu pai, Eleazar e de seu avô Arão, fez de mais notável foi atravessar um homem da tribo de Simeão que estava mantendo relações sexuais, com uma das prostitutas cultuais de Moab, que através da sugestão de Bilam a Balac, seduziram os filhos de Israel a se prostituírem com seus ídolos, logo depois de terem se prostituído com elas.

Na ocasião do Bezerro de Ouro, quando Israel adorou aquela imagem detestável e se entregou a todo tipo de orgia, Moisés estava recebendo de Deus as tábuas da Torah, e a tribo de Levi foi a única que se absteve de tal prática, mas, agora um homem levita, sacerdote, sentindo ZELO por Deus, (ao ver que tal afronta a Deus, diante dos olhos de Moisés, sendo que 24 mil homens tinham morrido da praga pelo pecado de tal prostituição), toma uma lança e atravessa o príncipe da tribo de Simeão e a filha de um dos príncipes de Moab, fazendo cessar a praga de sobre Israel.


As coisas que Deus ordena a Moisés a respeito deste homem, PINCHAS, são tão sérias, porque Deus fala de coisas perpétuas, Aliança Perpétua... Quando O Deus Infinito e Eterno fala de coisas perpétuas, temos que entender LITERALMENTE e nos alegrar na Sua Fidelidade.


Pois, O Eterno deu a Pinchas BRITI SHALOM - A Minha Aliança de Paz e BRIT KEHUNOT OLAM - Aliança de Sacerdócio Eterno.


Não é curioso, Deus ter dado a Ele a Sua Aliança de Paz, para alguém que aparentemente foi tão sanguinolento? Ele atravessou com uma lança os que estavam aparentemente "se amando?", veja quanta leituras esta cena pode trazer: A dúvida sobre o relacionamento entre o israelita e a moabita poder ser um amor verdadeiro; o Pinchas aparentemente ser movido por ciúmes ou algo assim vingando-se da mulher que o traiu ou ainda poderia ser acusado de violência contra a mulher, sendo ela dona de seu próprio corpo...

Cada um pode falar ou pensar a bobagem que quiser, mas, DEUS, disse a Moisés que o que PINCHAS fez, o fez com Zelo de Deus e por Zelo de Deus. 

A motivação destas mortes foi extirpar de Israel alguém que preferiu o pecado a Deus, seja lá com que desculpa for... 24 MIL homens morreram em decorrência deste pecado, PINCHAS, não os matou sabendo que a praga ia parar, ele o fez por Amor a Deus e por não suportar o desrespeito À Deus e a tudo o que estava acontecendo.

Não é para ser politicamente correto. É para ser de Deus!!!


Porque a Bíblia fala tão pouco, de quem recebeu coisas tão grandes? Porque conhecemos tão pouco? Bem talvez o tempo nos ensinará, ou a Manifestação do Reino trará à tona a fidelidade do Nosso Deus, pois onde estão os descendentes de PINCHAS hoje? Se é Eterno é Eterno, para sempre! 


Quando vemos a genealogia da Casa de Levi e da Casa de Arão e mais ainda da Casa de Eleazar e da Casa de Pinchas... Quando lemos sobre a Restauração do Templo e da distinção entre os levitas que acabaram se contaminando com a idolatria das nações e os descendentes de TZADOK, vemos A Profundidade da Fidelidade da Palavra do Nosso Deus e muito mais profundamente o que é uma Aliança.


Eleazar, o príncipe dos príncipes de Israel, responsável por tudo o que era santíssimo no MISHKAN, tinha seu irmão Itamar que era responsável pela administração do Mishkan. A maior distinção na vida de Eleazar não é apenas ele ter sido escolhido para suceder a Arão, isso poderia se dar até por ser ele o mais velho dos filhos de Arão que permaneceu vivo. Mas, as atitudes de seu filho PINCHAS, evidenciam a PATERNIDADE DE ELEAZAR. 


Porque PINCHAS foi tão zeloso por Deus? Talvez porque o seu pai, viu os seus irmãos mais velhos morrerem fulminados por não terem temor de Deus. Talvez Eleazar vendo Moisés ordenando que não levantassem a voz e não desgrenhassem os cabelos, diante daquela fatalidade, tenha gerado em Eleazar o temor necessário para fazer de seu filho um homem de Deus, zeloso pelas coisas do Eterno.



O Ministério de um pai, só é um sucesso se manifesto no sucesso de seus filhos.

Eleazar e Itamar e seus filhos morreram. Pinchas, filho de Eleazar, recebeu de Deus uma aliança de sacerdócio eterno. Séculos depois, um dos descendentes de Itamar tornou-se Sumo-Sacerdote seu nome Eli, e este quis honrar a memória de PINCHAS, filho de Eleazar e usou este nome marcando um de seus filhos, sendo o outro Hofni. 

Muito diferente da maneira que Eleazar criara seu filho, Eli quando ficou sabendo que os seus dois filhos se prostituíam com as mulheres que iam entregar oferendas a Deus, no Tabernáculo em Shiló e ainda, que eles retiravam carnes das panelas antes mesmo delas serem consagradas a Deus, ele não os repreendeu com severidade, foi fraco e neste dia perdeu seus filhos!
Eli não foi duro com seus filhos, mas, complacente, permitiu que tais pecados continuassem, pelo que Deus ao levantar Samuel como profeta ainda menino, disse: "o seu olho direito e a sua mão direita lhe serão cortados", (Quando a benção sacerdotal é pronunciada, O Sacerdote ergue a mão direita até que o seu olho direito não possa ver as pessoas), ou seja Deus estava cortando da casa de Eli, o direito ao sacerdócio.

Hofni e Pinchas, filhos de Eli, levam a Arca da Aliança para a guerra contra os filisteus, como um amuleto de guerra. Não havia naqueles homens temor algum ou zelo nenhum por Deus. Para Eli, bastou chamar o seu filho de um nome de um homem de Deus, ou com um significado de alguém que teria um aspecto profético em sua vida, mas, como ele não agiu como PAI PARA EDUCAR SEU FILHO SEGUNDO A VONTADE DE DEUS, seu filho morreu e a Glória de Israel se foi.


Qual o resultado terrível de tudo isso? Hofni e Pinchas são mortos no campo de batalha, a Arca de Deus é levada pelos filisteus, Eli quando fica sabendo da morte de seus filhos e que a Arca de Deus fora levada cativa, caiu de sua cadeira e quebrou o pescoço, e a mulher de Pinchas, sabendo de toda esta desgraça ao dar à luz ao filho de Pinchas, filho de Eli deu o nome a seu filho de IKAVOD (Inglório, Sem Glória, Se foi a Glória). 


Não havia mais pai para marcar o filho, não havia mais sacerdócio, não havia mais nada, não havia mais Glória...


"O pai que retém a vara, odeia o seu filho, mas, o que o ama, cedo, o disciplina"- Provérbios 13:24

Que tipo de pai você quer ser? O Legalzão, o que vai deixar sua mulher dar nome a seus filhos (pois A Glória se foi)? Ou você vai amar seus filhos e sua família, amando a Deus sobre todas as coisas e ensinando aos seus O Temor do Eterno?


Mais uma vez um salto de décadas e um dos descendentes de Eli, descendente de Itamar, chamado Abiatar, divide o sacerdócio em Israel com Tzadok, descendente de PINCHAS, filho de Eleazar. Este trai a David e apoia Adonias como rei no lugar de David, enquanto Tzadok mantem-se sempre fiel ao rei David e a Deus, em todas as situações, desde a rebelião de Absalão até este momento, ungindo Salomão rei de Israel, no lugar de David. Pois, é deste TZADOK que O Nosso Deus fala, através do Profeta Ezequiel, cujos filhos estarão servindo Novamente no Templo quando a Casa de Deus for restaurada e O Rei dos reis reinar desde Jerusalém, sobre todas as nações da Terra.

O poeira dos anos; o cativeiro; a dispersão; as perseguições, as mortes, as calamidades, jamais vão impedir que a Palavra se cumpra... Depois dos 70 anos do cativeiro Babilônico, muitos séculos depois EZRA (Esdras - SOCORRO), sacerdote, descendente de TZADOK, descendente de PINCHAS, filho de ELEAZAR, filho de AHARON, chama toda nação a voltar-se para Deus e desafia o povo do Eterno a mandar embora todas as mulheres de outros povos com quem os filhos de Israel casaram, gerando filhos e filhas. 


O que parece uma aberração para muitos, poderia ser comparado à atitude de PINCHAS, filho de Eleazar quando atravessou aqueles que não temeram a Deus, pecando diante dos olhos de Moisés. Deus ainda tem os seus e sempre os terá... Não é para os outros verem, não se busca nisso fama... É O ZELO POR DEUS! Se faz depois se pensa, se teme e isso é um VALOR INEGOCIÁVEL... Se ensina o que se vive, se marca geração após geração de pessoas estranhas ao mundo, pessoas com sua maneira própria de viver e de reagir, pessoas que nasceram para marcar sua geração não como ícones de um mundo que caminha para a ruína, mas, para os que arvoram bandeiras ao Nosso Deus e vão contra o fluxo de pessoas que descem aos infernos, focando os Céus, tendo como prêmio maior de sua vocação o estarem prostrados um dia, Diante do Trono de Deus e do Cordeiro. 


A Bíblia nos mostra muitas vezes pessoas que querem fama, notoriedade, importância aos olhos humanos, se esquecendo ou desconhecendo que Deus disse a Abraão, que Ele mesmo faria de Abraão um Nome. Ele, O Próprio Deus faria do Pai Abraão alguém muito famoso... A fama, vem de Deus, assim como a Graça, os dons, os talentos, os recursos, as portas abertas, os relacionamentos certos, acrescente a isso o que você quiser... Alguns lutam por conseguir tais coisas; outros as possuindo, lutam para mantêm-las, como se tivessem feito algo para lhes ter obtido... Alguns neste mundo corrompido e perverso, usam de artifícios, mentiras, enganos, chantagens, violência, etc, para conseguir tais coisas como dinheiro, fama, poder... O fim destes é a morte, é o desaparecer nas trevas...


Houve um homem chamado YOSEF, José, o chamavam Barnabé, (filho da exortação, do profético, da consolação), que tinha recebido uma herança em Chipre e que vendera tal propriedade, depositando todo o recurso desta venda aos pés dos apóstolos. Naqueles dias os judeus crentes em Yeshua viviam os primeiros momentos do derramar do Espírito Santo, logo depois que O Mestre voltou aos Céus. Esta atitude, de não considerar o que lhe pertencia algo de precioso, já que todos os que ouviam os testemunhos dos apóstolos do Cordeiro, ou que tiveram a honra de terem conhecido a Yeshua e passaram a segui-lo, esperavam ansiosamente o seu retorno. Eles esperavam sua volta para aqueles dias, consideravam que nada mais tinha valor ante tal promessa.


Barnabé, não pensou em tornar-se famoso, não pensou que seu nome milhares de anos depois seria falado, estudado, seria usado para inspirar e ensinar pessoas sobre adoração e temor de Deus... Simplesmente ele deu tudo o que tinha...


Pois Barnabé, com o dom que O Espírito lhe tinha concedido, foi enviado a Antioquia tempos depois, pelos Apóstolos de Jerusalém que ficaram sabendo que até "não judeus" começaram a se converter através dos testemunhos de muitos judeus que fugiram de Jerusalém por causa da perseguição que se iniciou depois da morte de Estevam. Quando chegaram à região de Antioquia imediatamente começaram a testemunhar sobre Yeshua. 

Quando Barnabé chegou percebeu a necessidade de alguém que conhecesse profundamente as escrituras para ensinar aos não judeus como viver para Deus? Yosef busca Saulo de Tarso, em sua cidade natal, e por um ano com Saulo neste lugar, O Poder de Deus se manifesta de tal forma, que pela primeira vez os discípulos de Yeshua, foram chamados cristãos, (messiânicos), pois se via neles as mesmas características do Mashiach: no poder de Deus que operava neles, na autoridade com que manifestavam O Reino de Deus, na busca pela Santidade de Yeshua e na sua entrega a Deus...
As pessoas que Saulo e Barnabé discipularam cresceram tanto, que presbíteros levantados entre eles impuseram as mãos sobre ambos enviando-os como Apóstolos para a obra que O Mashiach através do Espírito Santo tinha para eles... TUDO LINDO!!! Barnabé que entregara tudo aos pés dos Apóstolos agora fora chamado para ser também um Apóstolo.

Vendo estas coisas um casal chamado Ananias e Safira, vendo a fama, o testemunho tremendo de Barbabé desde que reconheceu que Yeshua era O Mashiach Glorioso de  Israel, tramaram algo: Vender determinada propriedade e também dizer aos apóstolos que o valor total da venda estava ali entregue como fizera Barnabé, porém tendo eles guardado parte do valor da venda escondido em algum lugar, foram com o intuito de alcançar fama e não honrar a Deus...


Para que fizeram isso? Se tivessem dado 50% do valor da venda de um terreno, já não seria muito louvável? QUE TREMENDO?! Mas, não! Eles almejaram a fama, não se importaram ou temeram a Deus, eles queriam ser notados por suas boas obras, achando que Deus que vê o coração aparentemente não falaria nada... Isso evidencia que realmente eles não tinham se convertido e que de fato não conheciam a Deus.


Pois Pedro discerne o que fizeram e que mentiram ao Espírito Santo, e ambos caíram mortos, quando confrontados por tal mentira... ICAVOD (INGLÓRIOS - SEM GLÓRIA, A GLÓRIA SE FOI...) O que eles queriam mesmo?


A diferença de Eleazar e Barnabé, para Eli e Ananias é que pais de verdade vão ensinar O TEMOR DO SENHOR a seus filhos, enquanto outros vão trazer morte e destruição à sua descendência, porque: 



IRAET ADONAI MIKOR CHAIIM 
(O Temor do Eterno é Fonte de Vida - Pv. 14:27)


SÓ GERA UM PINCHAS 
QUEM FOR UM ELEAZAR


KI MITZION TETZEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei 

e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem