quarta-feira, 14 de março de 2012

QUEM É QUEM? Haman



Haman, seu nome significa "Ilustre". Durante a celebração do Purim nas Sinagogas, o "Rolo" (Meguilah) de Ester é lido duas vezes, e durante a leitura, todas as vezes que este nome vai ser pronunciado, as crianças, giram as matracas freneticamente, para que este nome seja riscado da história do povo de Deus. 

YEMACH SHEMÓ VEZIKRÓ
Seja apagado seu nome e sua memória


Como vimos no capítulo intitulado "A História da História", Deus ordena a Moisés para escrever na Torah e avisar a Josué, que haveria guerra contra Amaleque de geração em geração. A ligação entre Amaleque, neto de Esaú, e Haman, pode não ter ficado tão clara, mas, veja a árvore genealógica de Haman, e vai começar a entender, muitas coisas...

Linhagem de Hamã é a seguinte: "Haman, filho de Hamedata, o agagita, filho de Srach, filho de Buza, filho de Iphlotas, filho de Dyosef, filho de Dyosim, filho de Prome, filho de Ma'dei, filho de Bla'akan, filho de Intimrom, filho de Harirom, filho de Sh'gar, filho de Nigar, filho de Farmashta, filho de Vayezatha, filho de Agague, filho de Sumki, filho de Amaleque , filho da concubina de Elifaz , filho primogênito de Esaú ". (Nesta genealogia aparentemente há uma omissão de várias gerações entre Agague, que foi executado por Samuel , e Amaleque, neto de Esaú.

Esaú, não valorizava a honra de ser primogênito de seu pai, e vendeu sua primogenitura por um prato de comida. Também, não valorizou o cuidado de não casar-se com mulheres de outros povos,   (porque junto com as mulheres sempre virão os seus deuses), e nesta contaminação, surge Amaleque. E séculos depois Haman.
Todo desvio de rota começa com alguns milímetros, mas, depois transformam-se em milhares de quilômetros, nos separando do Caminho que Deus sonhou para seus filhos.
É importante percebermos que o que ocorreu na Pérsia, foi um sinal, do que ainda ocorrerá num futuro próximo, porque nos tempos do fim, haverá um pior do que Haman, possuído pelo próprio Satanás, e este novamente vai tentar extinguir o povo judeu e todos aqueles que creem no Deus Vivo, e novamente Deus mudará a sorte de seu povo.

Hitler, que nasceu em 20 de Abril de 1889, era filho de um bastardo, que foi gerado num adultério entre um judeu de uma importante família (Otterstein), e uma empregada doméstica, manifestando aí, o mesmo desprezo de Esaú pelos princípios de Deus. É bom lembrar também, que embora Samuel tenha estraçalhado a Agague, sua semente perpetuou-se em alguma mulher.

Esta malignidade que se perpetua entre as gerações, é o que Deus avisou a Moisés. Esta semente não é apenas fisica (algo natural), mas, é espiritual. Há uma força das trevas, que luta para aniquilar aqueles a quem Deus ama. Haman, e nos parece que agora Ahmadinejad, são algumas destas pobres figuras que este espírito do mal, usou na história como bonecos para o seu desejo macabro.

Haman, quer ser reverenciado.
Satanás quer ser adorado.

Outra manifestação clara de Haman, que não é Rei, mas, deseja ter o poder do Rei, é a comparação que podemos fazer entre ele e o próprio HA SATAN (Satanás - o Acusador de nossos irmãos); Conforme Isaías 14, ele era o Heillel ben HaSachar (Heillel quer dizer: O portador da luz - LUX FER - Lúcifer em latim), filho da Manhã (do Alvorecer), em outras palavras, é aquele que não possuia luz própria. Quem tem Luz Própria é O Próprio Deus e o Seu Ungido, e a luz que brilha neste ser que foi criado, para dirigir a Adoração no Monte Santo do Eterno, é a Luz de Deus.

Haman, percebendo seu brilho, e esquecendo-se que tinha uma importante função no reino da Pérsia, porque o Rei, o havia constituído para isso, começa a querer ser adorado, reverenciado, e manifesta fúria, contra qualquer um que não se dobre diante dele.

No momento mais terrível do confronto de Satanás, contra YESHUA, depois de 40 dias de Jejum e intimidade com O ABA, nosso maior inimigo, oferece ao Nosso Mestre, tudo o que possui, todos os reinos deste mundo, que o homens haviam lhe dado, se Yeshua prostrado o adorasse... Se não fosse tão terrível isso, nós deveríamos dar risadas, porque percebemos nesta hora, A Loucura de Satanás, e que seu único e maior desejo é ser adorado, assim como este desejo foi manifestado em Haman em seus dias.

ESTÁ ESCRITO: 

"Ao Senhor teu Deus temerás; a Ele servirás,..." (Deu 10:20)
"...Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. (Luc. 4:8)

Haman um bruxo!

É muito interessante comparar figuras como a de Haman e Hitler, coisa que tenho feito neste capítulo, para evidenciar que há uma luta espiritual, muito maior do que coincidências históricas. Assim como é muito falado hoje em dia, sobre todo um sistema esotérico, que sustentava o III REICH, vemos nos dias de hoje cada vez mais ser comum expressões como magia, encantamentos, bruxos e feiticeiros que são tidos hoje como heróis. Haverá ainda num futuro próximo um governante mudial, que usará todo o poder das trevas para manifestar sua força e seu domínio sobre todas as coisas, e o único objetivo deste governante, será: ser adorado, ter seu trono colocado acima do trono de Deus, e exterminar aqueles que não se dobrarem a ele.
Isto está claramente narrado nas páginas de Apocalipse, porém, podemos ver com clareza como isso manifestou-se nos dias de Haman. 
O filho de Amaleque, lança sortes, faz sortilégios de magia, buscando uma data para que a morte do povo fosse decretada. Que crueldade! A Bíblia diz que no mês da Páscoa Judaica, época de Esperança, foi a época em que Haman decide lançar Pur para destruir o povo. A sorte cai exatamente no último mês do ano, cerca de 11 meses da data em que este decreto foi anunciado... A grande maldade disto é que durante quase um ano, o povo ficaria baixo a influência do DESESPERO, arma tradicional (na verdade é um espírito também, usado para acabar com a força do povo através do medo e da falta de Esperança).

A Fúria de Haman é contra a intimidade de Deus e seus ungidos

A Rainha Ester, depois de ter achado graça na presença do Rei, o convida para um banquete, e pede também que Haman seja trazido, transcorria ali o plano para que a situação do extermínio dos judeus fosse revertido. Haman está tão feliz, por ter sido convidado, que manifesta a todos seu orgulho, contando tudo com o que tem sido prosperado, sua grande família, suas riquezas, porém, há algo que ele não suporta! É o que mais lhe confronta... Há alguém, que não se dobra diante dele, e que não sai da Porta do Rei. Quem é? (ou quem são? Os Ungidos de Deus, os chamados para lhe servirem, os Ministros que YESHUA deu à Igreja - sobre isso falaremos num outro capítulo), é Mordecai, e Haman fica furioso. Surge aí um outro personagem que geralmente passa desapercebido a todos que se deparam com os escritos sobre Ester. Zeres, a mulher de Haman.
Esta ouvindo o lamento de Haman: "Todavia tudo isso não me satisfaz, enquanto eu vir o judeu Mardoqueu sentado à porta do rei."  (Est 5:13), sugere que este construa uma forca de 25 metros de altura para pendurar a Mordecai. A Forca é construída, e aparentemente o destino de Mordecai está decidido.

Naquela mesma noite, o rei perde o sono, e ouvindo as crônicas de seu reino, fica sabendo o que Mordecai, havia lhe feito (salvo sua vida de uma conspiração), e aconselhado pelo próprio Haman, este ordena que sejam dadas os trajes reais, o cavalo real e uma coroa real para Mordecai, e que Haman o conduza proclamando pela cidade de Susan: "Assim, se faz ao homem a quem o rei deseja honrar!"

Haman tinha uma corda para o pescoço de Mordecai, mas, a única corda que este consegue puxar são as rédeas do cavalo real, onde Mordecai estava sentado...rsss (Assim se faz ao homem, a quem o rei deseja honrar).

Quando o faraó, viu todo Israel, preso no Mar Vermelho, sem ter para onde fugir, deve ter dito: Desta vez acabo com eles!
Esta maneira de Deus agir é tão comum, porém, parece que nunca nos acostumamos com ela...rsss 
Parece que o nosso Deus permite que tenhamos com constância a sensação que somos a "minhoca" numa pescaria, mas, é justamente nesta hora, que a intimidade volta, que a dependência surge ou é restaurada. 
A certeza de que Deus nos trouxe até aqui, e não foi pra nos entregar à morte que Ele fez isso. Nesta hora, quando não há mais possibilidades humanas, não há sabedoria, riquezas, títulos, nomes, passado, só há Deus, é a hora que somos provados e percebemos a verdade de que na nossa fraqueza (quando dependemos só de Deus), está a nossa força.

Haman e seus 10 filhos

E em Susã, a capital, os judeus mataram e destruíram quinhentos homens; como também mataram Parsandata, Dalfom, Aspata, Porata, Adalia, Aridata, Parmasta, Arisai, Aridai e Vaizata, os dez filhos de Hamã, filho de Hamedata, o inimigo dos judeus; porém ao despojo não estederam a mão.(Est 9:6-10)





O Número 10 fala da Totalidade. Quando Deus faz Aliança com Abraão, cita 10 nações que seriam desapossadas da Terra Prometida aos seus descendentes. Havia muito mais do que isso de povos que habitavam Israel, mas, quando Deus disse que tiraria 10 nações, estava dizendo: Tirarei todas!
Quando Yeshua soprou O Espírito sobre seus discípulos, só haviam 10. Judas, havia se suicidado, e Tomé não estava. Na verdade, Yeshua estava soprando seu Espírito sobre todos, inclusive eu e você.
Para que os judeus façam suas orações, buscam o Miniyan (quórum de 10 judeus adultos, para realizar atos religiosos), porque 10 fala da totalidade dos filhos de Israel.
Quando Entregamos nossos dízimos (a décima parte do fruto de nosso trabalho), Deus abençoa a totalidade, porque o 10 fala da Totalidade.
Quando está escrito que os 10 filhos de Haman, foram mortos está subentendido que TODOS OS INIMIGOS DO POVO DE DEUS SERÃO EXTERMINADOS, que todos os que se levantarem contra nós, e que sibilarem todo mal, à uma serão silenciados para sempre.

Haman levantou uma forca para matar Mordecai, mas, ele foi enforcado ali. O mal que era para o povo, tornou-se o símbolo de sua vitória. Nosso próximo Capítulo será IMPERDÍVEL, porque falaremos do Deus que livrou ontem, que livra hoje e que livrará sempre, pois Ele é o mesmo hoje, ontem e será O mesmo Deus Eternamente!

"e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz." (Col 2:13-15)



Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem