quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Os próximos tempos - Apóstolo Arles Marques




Diante do anunciado “Fim do Mundo”, ou “Apocalipse 2012”, e os demais sinais filmados e televisionados nestes dias, fica a pergunta que martela a mente de muitos irmãos em Cristo: “Qual a oração, a atitude correta, diante das batalhas que se apresentam no cotidiano brasileiro?”, “Será sábio lutar contra um governo mundial, visto que Deus o anunciou em Sua Palavra que não falha?”
Para responder a essas indagações temos que dividir as respostas de forma madura.

1º As revelações contidas no livro do Apocalipse, a exemplo do restante da Palavra de Deus, se cumprirá cabalmente, não passará nem um til, nem uma vírgula, sem ser totalmente cumprida. E dessa forma esperamos que se levante um governante mundial, o iníquo, o anti-cristo. E não adiantaria orar para que isso não aconteça.

2º Entretanto, Deus em Sua Palavra praticamente não endereça suas admoestações à igreja, mas faz menção de cidades e nações, que devem ser julgadas por suas iniquidades, e salvas pelo possível temor a Deus e Senhorio de Cristo a que se sujeitem. Assim, devemos batalhar para que a iniquidade que tomará conta das nações da Terra não alcance a nossa cidade. “Se alguém quiser ir pro inferno, terá que se mudar de nossa cidade”!

Parecem coisas antagônicas, mas refletindo melhor, a história e os testemunhos dos irmãos na fé, nos revelam que cidades são poupadas ou destruídas, dependendo do posicionamento profético de seus líderes espirituais.

Desastres naturais têm sido desviados de cidades, e acabam se dirigindo a outra cidade, por causa da intercessão, do temor a Deus, do posicionamento vigilante dos atalaias e guardiães daquela cidade.

Podemos pensar que, o mundo jaz no maligno, mas o nosso querido Brasil vive debaixo do reinado de Cristo, e devemos batalhar para que a malignidade se afaste de nossa terra, e que o governo mundial encontre resistência no Brasil, e principalmente que O nosso Deus se agrade de nós, de nossa fé, e poupe o Brasil, livre a nossa nação, das terríveis tribulações que assolarão o mundo.

Quero crer que, assim como fez com Nínive, Deus nos abrirá espaço, para transformar uma possível destruição juntamente com outras nações, em livramento, em preservação e em vida!

No meio de grandes assolações previstas para o fim dos tempos, nossa batalha, nossa oração, nossa confiança deve estar num Deus que tem alegria em livrar as cidades que forem achadas dignas, naquele dia!

Se o mundo vai continuar jazendo no maligno, nós viveremos pela fé, e fé em Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador!!!

APÓSTOLO ARLES MARQUES,
Presidente da Comunhão Cristã – Igreja Apostólica
Presidente da RAMC – Rede Apostólica de Ministérios Cristãos
Secretário Geral do Conselho Apostólico Brasileiro