domingo, 5 de setembro de 2010

KALLAH - A NOIVA DO CORDEIRO


Nissuin (Casamento)


O passo culminante no processo da cerimônia do casamento judaico é conhecido como nissuin. Isto é baseado no verbo hebreu nasa, que literalmente significa “carregar”. Nisuin era mais ou menos uma descrição gráfica, enquanto a noiva estaria esperando o noivo para levá-la para sua nova casa. Existia uma grande expectativa para a noiva na chegada do casamento. Esse tempo de espera se dava levando-se em consideração um elemento único para o casamento judaico bíblico, que é o tempo da chegada do noivo (e por isso toda a festa do casamento), o qual era para ser uma surpresa. Qualquer noiva que levasse o período de noivado seriamente, estaria esperando o noivo ao final desse longo ano de eyrusin. Entretanto, a hora exata da cerimônia não era certa, pois era o pai do noivo que daria a aprovação final para o nissuin começar. A noiva e sua comitiva estariam, então, ansiosamente olhando e esperando pelo momento exato. Mesmo no final da tarde, a comitiva de casamento deveria manter suas lâmpadas de óleo acesas só no caso em que o casamento estivesse por começar. Como eles saberiam quando seria a hora? Um costume era que um membro da comitiva do noivo liderasse o caminho da casa do noivo para a casa da noiva e gritasse, “Veja, vem o noivo!”. Isto seria seguido pelo som do shofar (chifre de carneiro), o qual era usado para proclamar dias santos judaicos e eventos especiais.

Ao som do shofar, o noivo lideraria a procissão do casamento pelas ruas da vila da casa da noiva. Os acompanhantes do noivo deveriam então carregar (nissuin) a noiva de volta para a casa do noivo, onde a chupah foi montada uma vez mais. O casal iria uma vez mais, como eles fizeram no ano anterior, proferir uma benção acompanhados de um copo de vinho (um símbolo da alegria). Este copo era claramente distinguido do copo anterior, como era refletida na tradicional sheva b’rakhot (“sete bençãos”) que o acompanhava. O segundo estágio da cerimônia da chupah, como é encontrado no costume do nissuin, serve como a finalização dos votos e promessas anteriores. O que foi prometido na cerimônia do eyrusin agora foi consumado na cerimônia do nissuin. Pela primeira vez, o casal estava livre para consumar o casamento deles, tendo as relações sexuais e vivendo juntos como marido e mulher (ver Gn. 24:66-67). O pináculo desta cerimônia alegre é o jantar de casamento. Isto é mais do que simplesmente sentar e jantar com todos os convidados, pois inclui sete dias de comida, dança e celebração (veja Jz. 14:10-12). Depois de todas as maravilhosas festividades, o novo esposo estava livre para trazer sua esposa para sua nova casa e viverem suas vidas juntos, dentro da total aliança do casamento.

As Sete Bênçãos (Pronunciadas durante um casamento judaico)
1. Louvado sejas, ó Eterno, nosso Deus, Rei do Universo, Criador do fruto da videira .
2. Louvado sejas, ó Eterno, nosso Deus, Rei do Universo , que criou todas as coisas para Sua glória.
3. Louvado sejas, ó Eterno, nosso Deus, Rei do Universo , o Criador do homem.
4. Louvado sejas, ó Eterno, nosso Deus, Rei do Universo, que criou o homem e a mulher à vossa imagem , formando a mulher do homem como sua companheira , que, juntos, possam perpetuar a vida . Louvado sejas, ó Eterno , o Criador do homem.
5. Pode se alegrar Tzion, seus filhos são restaurados para sua alegria. Enaltecido és Tu, ó Eterno, que faz Tzion para alegrar a volta de seus filhos.
6. Grande e perfeita alegria a estes companheiros de amor, como você fez para o primeiro homem e a primeira mulher no Jardim do Éden. Louvado sejas, ó Eterno, que concede a alegria da noiva e do noivo.
7. Louvado sejas, ó Eterno, nosso Deus, Rei do Universo , que criou o gozo e alegria , a noiva e o noivo, alegria , música, prazer e alegria, amor e harmonia, paz e companheirismo. Ó Eterno , nosso Deus, não deixe nunca de ser ouvido nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém, as vozes de júbilo e alegria , as vozes da noiva e do noivo , as vozes de júbilo os juntou em casamento sob a Chupah, as vozes dos jovens, pessoas festejando e cantando. Louvado sejas, ó Eterno, que faz o noivo se alegrar com sua noiva.

Após as bênçãos recitadas, o rabino tem uma taça de vinho no alto que passa para o noivo e a noiva beberem do copo.

E desposar-te-ei comigo para sempre; sim, desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em Graça, e em misericórdias; e desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás O Eterno. (Oséias 2:19-20)


ANI LELODI VEDODI LI

Eu sou do meu amado e o meu amado é meu!